Sobre estar só, eu sei.

midnightin-paris:

Montmartre, Paris


“Quem me dera estar ao ar livre. Quem me dera ser de novo aquela criança, meio selvagem, audaciosa e livre… e rir das ofensas em vez de me preocupar com elas! Por que estou tão mudada? Por que ferve o meu sangue com tanta facilidade com umas míseras palavras?”
O Morro dos Ventos Uivantes.  (via cataclismas)

“Acredito que os seres humanos têm alma, e acredito na manutenção da alma. O medo do esquecimento é outra coisa, o medo de não ser capaz de dar a minha vida em troca de nada. Se você não vive uma vida a serviço de um bem maior, precisa pelo menos morrer uma morte a serviço de um bem maior, sabe? E eu tenho medo de não ter nem uma vida nem uma morte que signifique alguma coisa.”

A culpa é das estrelas.   (via lastimavel)


“Não consegui mais suportar todas aquelas emoções. Eu queria que o mundo parasse, acabasse.”

Os 13 porquês.       (via aprendizdepoeta)